23.11.06

INTRODUÇÃO


Por meio da linguagem indivíduos diferentes podem, numa certa medida comparar suas experiências, verifica-se que certas percepções dos sentidos de indivíduos diferentes se correspondem, enquanto que certas outras não tem entre si correspondência possível.
Estamos habituados a considerar como reais aquela percepções que são comuns a indivíduos diferentes, que são, por assim dizer, impessoais. As ciências naturais e, em particular, a mais fundamental de todas, a física, ocupam-se de tais percepções”... "Não existe nenhum caminho lógico para a descoberta das leis do Universo - o único caminho é o da intuição" A. Einstein


“... Se desejamos compreender bem a contribuição de Einstein para a descrição — e compreensão — de um vasto conjunto de fenômenos físicos, talvez devêssemos nos fazer a seguinte pergunta: qual é a imagem física atual do mundo, qual foi sua evolução através da história? Essa pergunta é tão antiga quanto o próprio homem; é o cerne dos grandes sistemas de filosofia e de religião. E, em virtude de minha ignorância dos estudos dos maiores filósofos e historiadores da ciência, só seria capaz de apresentar-lhes um apanhado qualitativo e sumário da evolução de alguns aspectos fundamentais da concepção física do mundo. O problema de mostrar como adquirimos o conhecimento e como se realiza nosso conhecimento das coisas distintas de nós mesmos é o núcleo da filosofia. Acredito que ele não encontrou e provavelmente jamais encontrará uma solução definitiva” José Leite Lopes


“Todos os conhecimentos humanos começam por intuições, avançam para concepções e terminam com idéias” Emmanuel Kant (1724-1804)


MITOLOGIA (Explicações primordiais)


“... mitologia é um sistema para a organização e regulamentação da sociedade, por um lado prepara uma comunidade para concordar com uma intuída ordem da natureza e, por outro lado, por meio de seus simbólicos ritos pedagógicos, conduz os indivíduos pelas inevitáveis fases das transformações psico-fisiológicas da vida humana: nascimento, infância e adolescência, idade adulta, velhice e a liberação através morte, de acordo com as exigências deste mundo e, porventura, através de uma ruptura da participação: poder existir além do tempo." Myth and logos / Joseph Campbell: Wikipedia
Na mitologia grega Prometeu é considerado o criador da raça humana e, também, pai da Ciência. Prometeu, além do homem, criou todos os seres; seu irmão Epimeteu foi encarregado de distribuir as competências necessárias para a sobrevivência de todos. Infelizmente quando chegou a vez do homem, o cabedal de qualidades chegara ao fim, ficando o homem nu e indefeso. Prometeu, em reparação, subiu ao Olimpo e roubou o fogo das forjas de Hefesto (Vulcano) para lhe dar uma alma (Platão relata um segundo roubo: o saber relacionado ao uso do fogo que permitiu ao homem aquecer, iluminar, forjar, fundir e consequentemente se desenvolver). Como punição Zeus mandou acorrentá-lo no Cáucaso, onde uma águia lhe devorava diariamente o fígado, sempre reconstituído, até ser libertado por Herácles (Hércules). Mitologia: Wikipedia



A psicologia e a sociologia consideram o mito como uma forma de explicação do mundo próxima da religião que exprime certas estruturas da sociedade (Lévi-Strauss). Ou do espírito humano, do qual se projetam inconscientemente certos tipos gerais de explicação das coisas (Carl Jung).
"Sigmund Freud defendeu a ideia de que a comunicação simbólica não depende só da historia cultural mas também do funcionamento da psique … também considera o mito como expressão de ideias reprimidas".





"Quando a Terra é avistada da Lua, não se veem as divisões em nações ou estados. Isso pode ser de fato, o símbolo da mitologia futura. Essa é a nação que iremos celebrar, essas são as pessoas às quais nos uniremos."“Através da leitura de seus livros – The Masks of God e The Hero with a Thousand Faces – vim a compreender que aquilo que os seres humanos têm em comum se revela nos mitos. Mitos são histórias de nossa busca da verdade, de sentido, de significação, através dos tempos... Precisamos que a vida tenha significação, precisamos tocar o eterno, compreender o misterioso, descobrir o que somos.”: Joseph Campbell em entrevistas com Bill Moyers


LINKS
Hesiod, the Homeric Hymns: The Theogony

The Golden Bough 'James George Frazer': Wikipedia
A fonte do poder, no oráculo de Delfos: John R. Hale, Jelle Zeilinga De Boer, Jeffrey P. Chanton e Henry A. Spiller

5 comentários:

quarkup disse...

Agora o poukociencia está neste sítio;
http://poukosciencia.wordpress.com/

Fátima disse...

Passei para conferir seu trabalho. Está um espetáculo!
Abraços

Angélica Mandrá disse...

Prezado colega,
o Laboratório de Divulgação Científica gostaria de contactá-lo.
Por favor, pedimos que escreva para: angelicamandra@gmail.com

Cordialmente
Angélica Mandrá

Vicente disse...

Cara Angélica,
agradecemos sua visita e colocamos este espaço a sua disposição.
Abraços, Vicente

Assessoria de Imprensa ONHB disse...

Atenção alunos e professores de História:

Começaram as inscrições para a 6ª Olimpíada Nacional em História do Brasil!

Alunos do Oitavo ano do Fundamental até o Terceiro ano do Ensino Médio já podem se inscrever para mais uma edição da nossa Olimpíada!

Equipes de 4 integrantes, sendo compostas pelo professor de história da escola e 3 alunos, encaram desafios semanais nas 4 fases online e se preparam intensamente para a Grande Final presencial, em Campinas/SP.
As inscrições podem ser feitas a partir deste link, onde também consta o Regulamento Oficial:

http://www.olimpiadadehistoria.com.br/6-olimpiada/regulamento/index


Sobre a ONHB:

Nossa Olimpíada é realizada desde 2009 pela UNICAMP, com o apoio do CNPQ/MEC/MCT. Milhares de estudantes e professores de todos os estados brasileiros se reúnem para responder questões que proporcionam uma reflexão sobre a construção da nossa sociedade. A construção do método histórico, sua aplicação e desenvolvimento compõem cerne do desafios semanais, estimulando nossos participantes a experimentar esse processo de investigação.
Lembrem-se: as inscrições vão até 20 de abril!